KAMILLA NUNES

Crises, 2019

Dois cubos de 1 x 1 x 1 cm, um feito com nota de US$ 1,00 e outro com Rivotril e gesso.

 

São dois pequenos cubos de 1 cm3, um deles é feito com um dos medicamentos mais consumidos no mundo, o famoso Rivotril (clonazepam). O outro, de uma nota de um dólar, recortada e remontada em camadas que passam do plano ao volume. Juntos, temos duas massas simbólicas indissociáveis. O substantivo crise vem latim crisis, “momento de decisão, de mudança súbita”. Por isso, na medicina, constituía o “momento decisivo, para a cura ou para a morte” e, em economia,  a “fase de transição entre um surto de prosperidade e outro de depressão, ou vice-versa”. Esse trabalho opera pela borda, condensa momentos decisivos e transitivos num embate que se dá em nome de nossa própria existência.